quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Cuidados...


O que dizer quando alguém, ou nós mesmos, nos perdemos dentro de um personagem criado por nossa própria mente?Fantasiar, sonhar, interpretar; não existe absolutamente nada de errado com isso. O grande perigo mesmo, passa a existir quando não observamos a tênue linha que separa a realidade da ficção. Quando as nossas fantasias atingem o limiar da nossa vida em sociedade, em família.Tenho observado, diria até com muita freqüência, casos de swingers e singles, que freqüentam o meio, e perdem completamente a noção de onde começa e onde termina a fantasia. Acabam por desenvolver uma compulsão por essa vida secreta e paralela, ficam tão obscecados que não conseguem mais sentir prazer com as coisas do seu cotidiano, não freqüentam mais lugares que não tenham a ver com o meio, não se relacionam mais com pessoas que não sejam do meio e, quando são obrigadas a sair da nova rotina, têm deslizes gigantescos de comportamento.Permitem que o meio liberal, destrua seus relacionamentos (não precisam mais disso, é monótono!), mudam seu comportamento, perdem o respeito pelas pessoas que amam, se desligam completamente dos seus objetivos pessoais, familiares e profissionais. A impressão que se tem, é que essa “nova vida”, cheia de luzes, música e erotismo, é única e, ao invés de descobrirem seu próprio erotismo e sensualidade, criam um personagem, da qual não conseguem mais se despir quando as luzes se apagam. (ou acendem).Mulheres passam a achar que seus maridos, companheiros de longa data, já não bastam, são pouco. Pouco bonitos, pouco abastados, pouco sexys, pouco amantes; e já vi casos de algumas que passam a buscar outros homens até fora do swing, na ilusão de que aquela explosão que existe dentro do meio, seja igual aqui fora, na vida real.Homens que se desequilibram totalmente. Vivem sexo 24 horas por dia, beirando a compulsão. Acham-se mesmo irresistíveis e passam a desprezar internamente suas companheiras, obrigá-las a humilhações, forçá-las à situações que elas não querem e chegam até mesmo a chantagear. Querem mais e mais, pouco importa a que preço.Uma das coisas com a qual temos tomado mais cuidado, muito mais do que ter essa vida paralela descoberta, é perder nossa própria identidade, nossa personalidade como indivíduo e como casal. Mais um texto sério, porém fundamentado em situações vistas ou vividas no meio liberal, onde somos meros iniciantes. Tudo é muito gostoso, diferente, divertido, libertino, erotizado, mas cuidado, é extremamente perigoso!!!Não permitam que sua verdadeira identidade se perca dentro de você. Seja sempre você mesma(o), vivendo sim uma deliciosa fantasia, mas você!Cuide com carinho do seu relacionamento, do seu amor, não se engane achando que desprezando aquilo que já é seu, vai fazer cair aos seus pés homens e mulheres, já que você é tão boa, tão espetacular! Converse muito, principalmente com você mesma(o), avalie mais suas próprias mudanças (e menos as dos outros).E sempre, mas sempre mesmo, mantenha os dois pés bem fincados no chão, não levite demais, porque seu tombo poderá ser extremamente doloroso.De resto, curta e curta muito, liberte-se, libere suas fantasias, compartilhe com seu parceiro(a), sem medo, e aproveite, porque esse mundo é...deliciosamente indecente...

Um comentário:

  1. Simplesmente fantástico o texto. "mf-2010@bol.com.br"

    ResponderExcluir

Ola amigos visitantes.
Deixem aqui suas críticas e sugestões.
Adoramos escrever nossas aventuras reais e saber o que acham.
Beijos do casal 11:11